Esporte

Ex-técnico da seleção brasileira feminina morre vítima de câncer

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

As quatro linhas meio que se acostumaram o silêncio devido a pandemia de Covid-19. Mas hoje, o silêncio parece mais forte. O futebol se despede do técnico e ex-jogador de futebol Oswaldo Fumeiro Alvarez, mais conhecido como Vadão. Ele morreu no início da tarde desta segunda-feira (25), aos 63 anos.

O ex-técnico teve passagens pela seleção feminina de futebol e clubes como São Paulo, Corinthians, Guarani, Ponte Preta, Criciúma, entre outros. 

Acostumado a enfrentar grandes adversários, Vadão lutava contra um câncer no fígado e estava internado desde a semana retrasada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O ex-técnico lutava contra a doença desde o início de 2020, quando passou por sessões de quimioterapia e chegou a apresentar evolução, mas o quadro se agravou novamente.

Histórico 

Alvarez tentou a sorte como jogador nos anos 70, atuando nos times juvenis do Guarani e Botafogo, de São Paulo. No profissional, teve passagens por Paulista, Velo Clube e Capivariano. 

Porém, Vadão escreveu seu nome nas quatro linhas à beira do campo como treinador. O primeiro grande trabalho foi com o “Carrosel Caipira” no Mogi Mirim, onde ajudou a projetar Rivaldo, Leto e Válber. 

No São Paulo, o técnico ficou marcado por ter lançado o meia Kaká no profissional, no título do torneio Rio-São Paulo de 2001. Em Santa Catarina, Vadão foi campeão catarinense em 2013, pelo Criciúma. 

Vadão foi campeão catarinense pelo Criciúma (Foto: João Lucas Cardoso)

Entretanto, foi na seleção brasileira de futebol feminino que o nome de Vadão se tornou mais conhecido. O técnico estava na Ponte Preta, quando em abril de 2014 recebeu o convite da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 

Em dois anos e sete meses durante o primeiro comendo, Vadão conquistou a Copa América 2014, Torneio Internacional de Futebol Feminino 2014, Campeonato Internacional de Futebol Feminino de 2015, Jogos Pan-Americano de 2015, além do quarto lugar nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. 

No mesmo ano das olimpíadas, foi escolhido pela FIFA o sexto melhor treinador do mundo de um time feminino.

Vadão ao lado de Marta em treino da seleção feminina (Foto: Reuters)

Na segunda passagem pela seleção, que começou em setembro de 2017, Vadão ficou um ano e 11 meses e foi campeão do Torneio Internacional de Futebol Feminino na China, em 2017 e da Copa América, em 2018. 

O último torneio pela seleção foi a Copa do Mundo de 2019, onde o Brasil foi eliminado nas oitavas de final para a França. Em Julho do mesmo ano, foi demitido pela CBF.


Quer saber das notícias de Guaramirim e Região primeiro? CLIQUE AQUIe participe do nosso grupo de WhatsApp!

Camila Silveira Rosa

Jornalista e marketeira, apaixonada por boas histórias, cultura e curiosa por natureza

Comentários estão fechados.