Esporte

“Impressionante a capacidade do Rodrigo de ter tempo para o outro”, diz jornalista sobre morte de Rodrigo Rodrigues

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Acostumado em frente às câmeras e sempre com um sorriso largo no rosto,  além do bom humor característico e do carisma capaz de fazer amigos em questão de minutos, Rodrigo Rodrigues, uniu duas grandes emissoras esportivas na noite de terça-feira (28), que fizeram a transmissão de uma homenagem conjunta ao jornalista e apresentador. 

RR, como era conhecido, morreu aos 45 anos, vítima de trombose venosa cerebral decorrente da Covid-19. 

A morte prematura do jornalista gerou comoção nacional entre os colegas de profissão e admiradores do esporte, que usaram as redes sociais para se expressar. Muitos inclusive, sem acreditar na notícia que anunciava o fato.

Uma dessas pessoas foi a jornalista Christiane Mussi Ponciano, que lembrou com carinho do momento em que conheceu o amigo de profissão. 

Foi participando do programa do Esporte Interativo que nos conhecemos pessoalmente. Ao vivo. No improviso, como ele gostava e sabia fazer”, comenta. 

(Foto: Arquivo Pessoal)

De acordo com ela, os dois se tornaram colegas e, nos últimos meses, amigos “por dedicação dele”. 

Impressionante a capacidade do Rodrigo de ter tempo para o outro, mesmo produzindo tanta coisa legal na TV e na internet”.

Foi nessas produção para a internet, que a estudante de jornalismo Marília Maciel, conheceu o trabalho de RR, quando ele fazia o programa “Vitrine” apresentado por Marcelo Tas, na TV Cultura em 2001.

Eu o conheci por causa de um vídeo. Depois comecei a seguir ele em uma rede social e começamos a conversar. Como gosto de esporte, sempre comentávamos sobre futebol, mas também sobre música e viagens”, afirma. 

Apesar de ter dedicado parte da carreira como jornalista esportivo, Rodrigues, era versátil.  Em 2008, montou a banda”The Soundtrackers”, especializada em tocar trilhas de grandes sucessos do cinema, além de encontrar espaço nas madrugadas, pois ele mesmo brincava dizendo que não dormia, para escrever livros dois relacionados à música, sua paixão desde a infância. 

(Foto: Rodrigo Rodrigues / Instagram)

Ele vivia me dizendo para treinar violão com ele online. E vou honrar o seu pedido e não vou desistir de tocar violão”, afirma Christiane. 

E se antes dessa pandemia, os amigos já o descreviam como luz, quando começou o isolamento, parece que RR se destacou ainda mais devido a generosidade e empatia. 

Por algumas vezes ele alegrou minha vida nesse isolamento, alguém disposto sempre a incentivar o próximo a brilhar, e sem nunca desejar nada em troca por isso”, relata a jornalista. 

Marília lembra do dia que disse a RR que estava fazendo jornalismo. “Ele disse: vai ser coleguinha então”.

O apresentador incentivava e tinha um respeito muito grande pelas pessoas, como lembra a jornalista. “Obrigada por todo incentivo e respeito. Alguém que não diferenciava o famoso do anônimo, porque tinha humildade para ter empatia por todos”.

RR foi exemplo de profissional apaixonado pela profissão e um incansável. Extremamente generoso e inteligente, ele jamais foi o cara da tv, mas sim o Rodrigo, o apaixonado por música e viagens, rico em conhecimento e curioso por natureza”, afirma. 

Carreira 

Rodrigues iniciou a trajetória no jornalismo esportivo na ESPN e o SporTV foi sua última emissora de TV. Por isso, durante 30 minutos na noite de ontem, as emissoras interagiram para homenagear o amigo e colega.

O jornalista que foi um grandes nomes da televisão brasileira nas últimas décadas, iniciou a carreira em 1995, na Rede Vida, ingressando na faculdade de jornalismo dois anos depois. 

Na TV Cultura, integrou a equipe do programa “Vitrine”, apresentado por Marcelo Tas, em 2001. Rodrigues ficou na emissora até meados de 2003, quando teve uma curta passagem como repórter no SBT. 

Em 2005, mudou-se para a TV Bandeirantes, mas retornou na sequência para a TV Cultura, para ancorar o “Cultura-Meio Dia”, permanecendo na função por cinco anos. No início de 2011, ingressou na área onde ganhou destaque: esporte. 

Ele assumiu a função de apresentador do “Bate-Bola” da ESPN Brasil e ganhou espaço e admiração pela forma leve e descontraída de transmitir as informações entre os telespectadores. Rodrigues passou também pela TV Gazeta, Esporte Interativo e pela Rádio Globo. 

Em 2019, foi contratado pela emissora, onde começou a aparecer em diferentes programas do SporTV. Somente em agosto daquele ano, se tornou âncora fixo do programa Troca de Passes. 


Quer saber das notícias de Guaramirim e Região primeiro? CLIQUE AQUIe participe do nosso grupo de WhatsApp!

Camila Silveira Rosa

Jornalista e marketeira, apaixonada por boas histórias, cultura e curiosa por natureza

Comentários estão fechados.