Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário
Quem Somos Contato
Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário

Waldemiro é natural de Mafra, no Norte catarinense, e era trabalhador rural – Foto: Reprodução Internet

Data:15/02/2022  Postado por: Redação

Família suspeita que homem morreu após levar soco e não em acidente em Jaraguá

Foi identificado o homem que morreu em um capotamento em Jaraguá do Sul, na madrugada de domingo (13). Waldemiro Alves Lourenço, de 56 anos, é a vítima. No entanto, a família desconfia que ele possa ter morrido horas antes, após sofrer uma agressão em um bar.

O enteado de Waldemiro, Willian Roberto, de 32 anos, afirma que espera a mãe, que está com fratura na perna, receba alta do hospital para entrarem na justiça contra o suposto agressor.

A briga teria acontecido em um bar, na madrugada de domingo (13). Willian conta que a mãe, o padrasto e o irmão foram para um bar na rua da casa da mãe, localizado no bairro Ribeirão Grande do Norte, em Jaraguá do Sul.

Minutos após chegarem no bar, o padrasto teria sido agredido pelo genro da proprietária, mas não explicou o motivo da suposta agressão.

“Ele recebeu um golpe no peito, ao cair no chão, ele bateu a cabeça e não acordou mais”, relata Willian.

Neste momento, a mãe teria chamado o filho, que estava bebendo no bar, para ajudar. “Filho, filho, vem socorrer o Índio (apelido de Waldemiro)”, teria dito a mãe.

Logo, o irmão de Willian correu para casa, pegou o carro e, com ajuda de populares, colocaram Waldemiro deitado no veículo antes de acelerarem o veículo até o hospital.

Só que durante o trajeto, o irmão de Willian passou reto em curva na rua Estrada Ricardo Luiz Floriani, no bairro Nereu Ramos, e o carro caiu em um rio. O veículo capotou e Waldemiro morreu no local.

O irmão de Willian, após ser preso por dirigir alcoolizado, foi solto na manhã desta segunda-feira (14), em audiência de custódia.

Willian ainda conta que padrasto era uma pessoa “calma, tranquila e era muito querido no bairro. No que precisava, todo mundo podia pedir alguma coisa que ele fazia”.

Natural de Mafra, também no Norte de Santa Catarina, Waldemiro era trabalhador rural e também recolhia latinhas para ganhar dinheiro. O enterro aconteceu no domingo (13).

ND

 

 

PUBLICIDADE

booked.net




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE




Copyright 2020 - Todos os direitos reservados a Guaramirim News.