Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário
Quem Somos Contato
Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário

Data:24/08/2022  Postado por: Redação

Jaraguá do Sul confirma segundo caso de varíola dos macacos

A Prefeitura de Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, confirmou o segundo caso de Monkeypox, conhecida como varíola dos macacos, nesta quarta-feira (24). O paciente é um menino com idade entre 3 e 5 anos.

Segundo a Secretaria de Saúde, a criança já se recuperou, recebeu alta e saiu do isolamento.

O primeiro caso da doença havia sido confirmado nesta terça-feira (23). o primeiro paciente é um homem com idade entre 30 e 39 anos. Ele continua em isolamento e seu quadro de saúde é considerado bom.

Dentro os cinco casos notificados na cidade, dois foram confirmados, um descartados e dois aguardam resultados de exames.

Sintomas

A infecção é dividida em períodos, sendo inicialmente caracterizado por febre, dor de cabeça, dor lombar, dores no corpo, fraqueza e linfadenopatia. Aproximadamente sete dias depois inicia o período de erupção cutânea que, de modo geral, se inicia no rosto e se espalha para as demais partes do corpo.

Onde procurar atendimento

Em Jaraguá do Sul, o atendimento inicial deve ser realizado nas Unidades Básicas de Saúde (UBS. Se avaliado como suspeita de Monkeypox, o paciente deverá ser orientado para o isolamento domiciliar, até o desaparecimento dos sintomas e o resultado laboratorial negativo para a doença.

Formas de transmissão

A transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados.

A transmissão do vírus via gotículas respiratórias usualmente requer contato mais próximo entre o paciente infectado e outras pessoas, o que torna trabalhadores da saúde, membros da família e outros contatos próximos, pessoas com maior risco de serem infectadas.

A transmissão entre parceiros sexuais parece ser o modo provável de transmissão do presente surto, e o risco é maior devido ao contato íntimo com lesões cutâneas infecciosas durante o ato sexual. No entanto, estudos adicionais são necessários.

ND

 

PUBLICIDADE

booked.net




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE




Copyright 2020 - Todos os direitos reservados a Guaramirim News.