Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário
Quem Somos Contato
Geral
Saúde
Educação
Esporte
Segurança
Política
Economia
Entretenimento
Colunistas
Obituário

Data:20/09/2022  Postado por: Redação

Guaramirim reforça vacinação contra poliomielite

Das 2.820 crianças que podem receber a vacina contra a poliomielite em Guaramirim, apenas 58% já receberam as duas gotinhas do imunizante. A meta a ser atingida é de 95%. A duas semanas do final da campanha de vacinação, a baixa cobertura, se comparada à meta de 95%, fez o município intensificar as ações de imunização. Uma das medidas é a vacinação nas escolas e centros de educação infantil.

Os pais ou responsáveis receberão um bilhete na agenda de seus filhos pedindo autorização para que a Vigilância Epidemiológica possa dar as duas gotinhas para a criança, e portanto precisa estar assinado, sinalizando o consentimento. O bilhete também informa a data da vacinação na sua unidade escolar, orientando a deixar a caderneta de vacinação da criança na mochila, para registro da dose aplicada.

O Secretário Municipal de Saúde, Marcelo Deretti, pede para que haja colaboração. “Nós pedimos que os pais autorizem seus filhos, aqueles que ainda não tomaram a vacina, a fazerem a imunização. A vacina da pólio previne a paralisia infantil, que estava erradicada no Brasil, e agora o número de casos que estão surgindo têm se intensificado”, afirmou.

Doença pode provocar sequelas

A poliomielite, também chamada de pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada por um vírus que vive no intestino, chamado poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas infectadas e provocar ou não paralisia. Nos casos graves, em que acontecem as paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos.

As sequelas da poliomielite estão relacionadas com a infecção da medula e do cérebro pelo poliovírus, normalmente são motoras e não têm cura. As principais são problemas e dores nas articulações; pé torto, conhecido como pé equino, em que a pessoa não consegue andar porque o calcanhar não encosta no chão; crescimento diferente das pernas, o que faz com que a pessoa manque e incline-se para um lado, causando escoliose; osteoporose; paralisia de uma das pernas; paralisia dos músculos da fala e da deglutição; dificuldade de falar; atrofia muscular e hipersensibilidade ao toque.

PUBLICIDADE

booked.net




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE




Copyright 2020 - Todos os direitos reservados a Guaramirim News.